Por que a conversa de Xuxa sobre presidiários é racista?

A apresentadora Xuxa Meneghel. Foto: reprodução / Instagram / xuxamenegheloficial

Resumo de Notícias

  • Xuxa errou ao sugerir que presidiários são usados ​​em pesquisas científicas ao invés de animais

  • O Brasil é um país que aprisiona muito, aprisiona negros e aprisiona injustamente, então a sugestão foi racista

  • É preciso garantir os direitos básicos de quem já tem tão poucos direitos

Na tarde desta sexta-feira (26), internautas citaram Xuxa Meneghel entre os assuntos mais falados do dia e o motivo, infelizmente, é lamentável. Durante transmissão ao vivo da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, o apresentador, que participou da transmissão, sugeriu que os presidiários fossem usados ​​como cobaias para remédios e vacinas nas fases de teste.

O que saiu da boca de Xuxa como um pensamento lógico e simples causou revolta nas redes sociais por ser algo facilmente relacionado a sistemas nefastos como o nazismo, o fascismo ou mesmo o racismo.

Leia também:

“Eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, pode parecer desumano, porque, na minha opinião, existem muitas pessoas que fizeram muitas coisas erradas, que estão pagando pelos seus erros para sempre, na prisão, que poderiam ajudar em esses casos de experimentos. [científicos]. Acho que pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, para ajudar a salvar vidas, remédios e tudo. Mas então algumas pessoas que defendem os direitos humanos virão e dirão que eles não podem ser usados. Se são pessoas que já provaram que vão viver 60 anos na cadeia e aí vão morrer, acho que poderiam usar um pouco da vida pelo menos para ajudar algumas pessoas experimentando remédios, experimentando vacinas ”, explicou o apresentador em concordância. com o apresentador do A sugestão teria sido feita como uma opção para testes de laboratório em animais.

Xuxa é vegana – ela não consome carne, produtos de origem animal ou produtos testados em animais – desde 2018. Ela até afirmou que se tornou vegana por amor aos animais. Mas por que não é aceitável que ela, que defende a vida digna e imaculada dos animais, sugira um desrespeito equivalente pelas vidas humanas?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que o Brasil possui a 3ª maior população carcerária do mundo, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). De acordo com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) de 2020, havia 678.506 presos e quase metade deles foram presos sem terem passado por julgamento judicial por suas ações. É preciso também mostrar que, em 2019, 66,7% da população carcerária do Brasil era composta por negros.

Além disso, existem práticas de investigação e reclusão no Brasil que permitem um elevado número de encarceramentos injustos. Seja o reconhecimento e a prisão da pessoa errada, ou o não julgamento do pedido de libertação dos réus ou mesmo a morosidade do processo de apuração dos casos, tudo isso contribui para que uma pessoa injustamente acusada de crime permaneça em prisão e assim integrando a população carcerária do país.

Tudo isso se soma a uma superlotação do sistema prisional do país, que pode superar a taxa de 166%.

Por último, mas não menos importante, é extremamente importante dizer que o artigo 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem garante que “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Dotados de razão e consciência, devem agir em conjunto .os outros com espírito e fraternidade ”.

Essa informação se resume em uma conclusão lógica: o sistema prisional brasileiro é racista e injusto, além de privar os acusados ​​- já que nem mesmo são julgados culpados – de direitos básicos.

Considerando todos os pontos levantados acima, é necessário perguntar: por que não seria aceitável fazer testes em animais, mas seria testá-los em seres humanos que têm razão e consciência, dignidade e direitos?

A conclusão é que a sugestão endossada por Xuxa reforça uma ideia racista que priva os negros que já estão privados de seus direitos de humanidade. E mesmo que a intenção do apresentador não fosse essa, é inaceitável que uma pessoa em sua posição e com seus recursos não tenha uma ideia básica de como funciona o sistema prisional brasileiro. Mais ainda: que desconhece que os negros, principalmente os privados de liberdade, não têm garantias de dignidade e são, nesta situação, desprezados em relação aos animais.

Os negros têm direito à justiça e à defesa, o que geralmente não têm é acesso a essas coisas. São pessoas conscientes de sua situação, dor, erros e crimes. São pessoas que devem, como qualquer outra, ser ouvidas e consideradas inocentes até prova em contrário. Portanto, Xuxa, não é aceitável que sejam usados ​​como cobaias por serem reclusos da sociedade em um local criminalizado e privado de sua humanidade.

resposta do apresentador

Na madrugada de sábado (27), Xuxa usou suas redes sociais para se desculpar pelas declarações do show do dia anterior.

“Estou aqui pedindo desculpas a todos vocês. Eu, que não usei as palavras certas, pensei uma coisa, pensei muitas coisas, queria falar sobre muitos assuntos, e não fugir do assunto que era assunto bichos, assunto de abuso, pessoas que fazem um monte de coisas maltratando vidas, e eu também fiz a mesma coisa né? Eu também julguei, também abusei, também usei palavras que não deveriam ter sido usadas, então estou aqui me desculpando para tudo de você.”

A apresentadora disse ainda que, durante sua fala, não pensou em presos negros e pobres, mas em presidiários responsáveis ​​por crimes hediondos como o estupro. “Está errado, me expressei mal e venho aqui pedir desculpas a vocês porque sei que temos algumas falhas no Brasil e uma delas é essa. Quem sou eu para dizer que essa gente deveria ficar lá [na prisão] ou morrer lá, e se eu fizer isso, estou sendo tão ruim quanto outras pessoas que abusam de outras vidas e não deveriam fazer isso. ”

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Noticias