InícioNotíciasMaior holding da exchange de criptomoedas do Brasil demite 15% de funcionários

Maior holding da exchange de criptomoedas do Brasil demite 15% de funcionários

-

- Advertisement -
- Advertisement -
- Advertisement -

Título alternativo: Holding do Mercado Bitcoin 2TM demite 15% da equipe, cita “concorrência desleal”

2022 testemunhou uma das piores falhas na história das criptomoedas. Além do Bitcoin (BTC) ter seu pior trimestre, também vimos muitas empresas de criptomoedas afundarem. Além disso, as principais empresas dispensam muitos funcionários para cortar custos.

Seguindo essa tendência, a 2TM demitiu 15% de sua força de trabalho, ou cerca de 100 funcionários. A 2TM é a holding do Mercado Bitcoin, a maior exchange de criptomoedas do Brasil por avaliação de mercado.

Em julho de 2021, o Mercado Bitcoin levantou US$ 200 milhões em uma rodada de arrecadação de fundos da Série B, avaliando a 2TM em US$ 2,1 bilhões.

As exchanges de criptomoedas estrangeiras estão com uma vantagem injusta?

De acordo com um comunicado oficial, a contínua adversidade econômica desempenhou um papel na decisão da empresa de demitir seus trabalhadores. Um porta-voz disse CoinDesk que as bolsas estrangeiras não estavam seguindo os mesmos padrões de relatórios e KYC (know-your0customer), abrindo espaço para “concorrência desequilibrada”.

A firma afirmou,

“O ambiente competitivo continua deteriorado e injusto, sem a aprovação da estrutura legal para atividades de criptomoedas, pois os jogadores que seguem a lei são penalizados por empresas que ignoram as regras locais.”

O Senado local do Brasil aprovou um projeto de lei de criptomoedas em abril, que ainda não foi votado pela Câmara dos Deputados do país. A ABCripto, uma associação de exchanges locais, pediu à Câmara dos Deputados que peça às exchanges de criptomoedas que tenham um número de identificação do empregador para solicitar uma licença no Brasil. As bolsas estrangeiras não gostaram dessa medida.

Esta não é a primeira vez que a 2TM demite funcionários. No início de junho, a empresa demitiu mais de 80 trabalhadores. A empresa havia afirmado que o cenário ia além da redução de custos operacionais.

A Bitso, principal rival do Mercado Bitcoin no Brasil, também demitiu 45% de seus trabalhadores. Além disso, a Buenbit, com sede na Argentina, também demitiu 45% de seus trabalhadores.

Os mercados de criptomoedas entraram novamente em uma tendência de queda após um breve período de alívio em meados de agosto. Este inverno criptográfico é um dos mais frios, conforme refletido nas estratégias da empresa. Muitos funcionários de empresas de criptomoedas ficaram sem emprego, e a tendência parece continuar.

No momento desta publicação, o valor do mercado de criptomoedas era de US$ 1,03 trilhão, um aumento de 0,7% em 24 horas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

VEJA TAMBÉM

Estratégia de negociação pouco compreendida silenciosamente desvia dinheiro dos usuários do Ethereum

MEV reforça recompensas do validador e prepara-se para crescer após a fusão A maioria dos usuários de criptomoedas nem sabe que isso está acontecendo. É...

3 razões pelas quais o XRP está subindo de preço agora

O XRP aumentou 30% hoje e superou o Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas líderes no mercado. O XRP aumentou quase 65% nos últimos 7...

Terra Classic cai de US$ 778 milhões para US$ 17 milhões nesta estatística

No último dia, as principais moedas do mercado de criptomoedas mostraram sinais de recuperação. Bitcoin e Ethereum subiram de valor em 6% e 10%....

Este validador de Ethereum demitiu 25% de seus trabalhadores após a fusão

A fusão do Ethereum (ETH) foi sem dúvida um dos momentos mais históricos da indústria de criptomoedas. No entanto, a atualização inclinou-se mais para...

POPULAR