Banco C6 capta R $ 1,3 bilhão em captações

Lançado há cerca de um ano e meio, o Banco C6, fundada por ex-executivos do BTG Pactual, acaba de levantar R $ 1,3 bilhão em sua nova rodada de investimentos, com 40 investidores privados. Com a forte injeção de recursos no caixa, o banco digital quer dar mais ritmo ao caminho de expansão e fortalecer sua plataforma de investimentos, em um momento em que o número de investidores no Brasil vem crescendo rapidamente devido ao ambiente de juros extremamente baixos.

No horizonte de 12 meses, se o crescimento continuar a passos largos, o banco pode encerrar 2021 com capital aberto, seja no Brasil, seja nos Estados Unidos – muitas vezes destino de empresas ligadas à tecnologia.

Com o novo aporte, que será feito por meio da emissão de ações ordinárias, o Banco C6 passa a ser avaliado em R $ 11,3 bilhões. O Banco Inter, que é o único banco digital listado no B3 hoje, tem valor de mercado de R $ 19 bilhões. O Credit Suisse atuou como assessor financeiro da operação e foi um dos 40 investidores, apurou o Estadão. O restante do capital veio de investidores pessoas físicas e famílias brasileiras.

“Isso abre caminho para continuarmos crescendo. A contribuição será para apoiar nossas operações e investimentos que fazemos para atrair clientes, novos produtos, outras áreas inerentes ao banco e à plataforma de investimentos ”, afirma o presidente do Banco C6, Marcelo Kalim. O investimento chega em um momento de grande competição no setor financeiro, com bancos tradicionais sendo desafiados por fintechs e bancos digitais, como o C6.

O executivo, que saiu do BTG Pactual para fundar o C6, comenta que o próximo passo para tornar o banco mais robusto, em termos de investimentos, será dar aos clientes acesso a produtos de investimento diretamente no exterior. Em janeiro, alguns fundos internacionais serão acoplados, mas a ideia é permitir que o cliente também compre ações diretamente em bolsas estrangeiras, o que deve ocorrer até o final do primeiro semestre. C6 já tem uma conta global, com saldo em dólares.

Desempenho. A instituição financeira encerrou 2019 com um milhão de contas abertas, número que já passou para 4 milhões. Para 2021, a meta é pelo menos manter esse ritmo, mas Kalim não abre a meta de crescimento interno.

O investimento de R $ 1,3 bilhão fechado com um grupo de investidores foi o segundo que a C6 fez com novos investidores, ou seja, fora do grupo de fundadores. O primeiro foi no valor de R $ 525 milhões e concluído em julho.

“Quando precisarmos de mais capital, a alternativa lógica será abrir o capital. Se a janela está aberta como está agora, olhar para 12 meses é um bom horizonte ”, diz Kalim.
Além dos quatro milhões de contas abertas, o banco possui cerca de R $ 5,3 bilhões em ativos totais. A carteira de crédito, que soma pessoas físicas e jurídicas, ultrapassa R $ 4 bilhões.

O volume movimentado em sua plataforma de pagamentos, que inclui serviços de adquirência (captura de transações de pagamento) e outras soluções de pagamento para o varejo, chega a R $ 1,5 bilhão por mês.

A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Noticias